O HOMEM QUE LUTA SÓ (Ride Lonesome, 1959)

21002492_20130430154915581

Mais uma contribuição da minha parte na peregrinação que o blog Vá e Veja está fazendo pelos faroestes da parceria do diretor Budd Boetticher com o ator Randolph Scott. Hoje saiu meu segundo texto (o primeiro foi O RESGATE DO BANDOLEIRO), desta vez sobre O HOMEM QUE LUTA SÓ, um dos meus westerns favoritos dos anos 50. CLIQUE AQUI E LEIA. 

Anúncios

RESPOSTA ARMADA (Armed Response, 1986)

armed-response1

Tava com saudade de postar algo do Fred Olen Ray, então resolvi republicar esse texto velho do blog antigo. Trata-se de um típico filme que me conquista só de ver o pôster com os nomezinhos de David Carradine e do grande Lee Van Cleef juntos, fazendo expressões de poucos amigos. Coloquei o cartaz no final do post para vocês contemplarem também. Mas de cara já dá pra perceber que a diversão é garantida com RESPOSTA ARMADA, um filme de ação sem frescuras e sem compromisso com seriedade, que não está nem um pouco a fim de se tornar um clássico do gênero ou coisa parecida. Em compensação, é uma experiência totalmente agradável para os autênticos fãs de cinema classe B.

A trama não poderia ser mais simples e é centrada na família Roth, cujo pai, Burt (Cleef), e seus filhos Jim (Carradine), Clay (David Goss) e Tommy (Brent Huff), tornam-se alvos de um mafioso oriental, Akira Tenaka, vivido pelo ator japonês Mako, depois de tomarem posse de uma estátua que possui certo valor para o gangster. Como não estamos lidando com nada muito original ou complexo por aqui, o enredo acaba sendo movido mesmo pelas cenas de ação, pancadarias, tiroteios e perseguições que acontecem ao longo da narrativa e, claro, pelas figuras ilustres que vão surgindo em cena, interpretados por algumas estrelas dos filmes de baixo orçamento que já estamos acostumados a encontrar neste tipo de produção.

armed-response2

Além de Carradine, Cleef e Mako, o elenco se completa com participações do sempre simpático Dick Miller, o bizarro Michael Barryman, eterno Pluto de QUADRILHA DE SÁDICOS aqui fazendo um capanga oriental (?), e até Ross Hagen. Impossível não se divertir com um elenco deste porte. No entanto, é mesmo o gafanhoto David Carradine quem deixa sua marca com uma ótima atuação. Seu personagem, o único com certa espessura, é um veterano do Vietnã que encara o problema familiar como um verdadeiro soldado traumatizado pela guerra. Mas meu personagem favorito é sem dúvida o calejado Lee Van Cleef, que está muito bem no papel do velho rabugento que não leva desaforo para casa e mesmo com a idade avançada participa da ação bem à vontade distribuindo chumbo e sopapos para cima dos bandidos. Continuar lendo