JESS FRANCO EM DVD

20621271_851334035034037_7845447150448873410_n

Obras-Primas do Cinema apresenta, CINEMA TRASH: JESS FRANCO, coleção que reúne quatro grandes sucessos do pai do cinema trash espanhol. Inédita edição com quatro filmes REMASTERIZADOS, distribuídos em 2 DVD ‘s.

Disco 01:
– Ela Matou em Êxtase (Sie tötete in Ekstase / She Killed in Ecstasy, 1971, 80 min.)
Direção: Jess Franco. Elenco Principal: Soledad Miranda, Fred Williams, Paul Muller
Depois de suas experiências com embriões humanos, um famoso médico é condenado à prisão. Revoltados com a sentença, ele tira a própria vida. Porém, sua amante inconformada com a perda, jura vingança. Ela então, através da sedução, começa a matar todos os responsáveis pela morte do seu amado.

– Santuário Mortal (Marquis de Sade: Justine / Marquis de Sade’s Justine, 1969, 124 min.)
Direção: Jess Franco. Elenco Principal: Klaus Kinski, Romina Power, Maria Rohm
Baseado na obra do Marquês de Sade, o filme conta a triste história de uma jovem chamada Justine. Ela e a irmã Juliette são expulsas de uma luxuosa escola particular quando sua mãe morre. Juliette resolve prostituir-se e leva uma vida de rainha com o dinheiro que ganha; Justine, por outro lado, tenta viver uma vida normal e honesta, porém, acaba no castelo de um sádico, onde será torturada e abusada sexualmente.

Disco 02:
– Vampiros Lesbos (Vampyros Lesbos, 1971, 89 min.)
Direção: Jess Franco. Elenco Principal: Soledad Miranda, Dennis Price, Paul Muller.
A Condesa Oskudar atrai vítimas femininas para uma ilha remota, para curti-las, amá-las e matá-las eventualmente. Mas ela comete o erro de se apaixonar por sua última vítima, a bela Linda Westinghouse. Uma versão lésbica do livro “Drácula”, de Bram Stoker.

– Lua Sangrenta (Die Säge des Todes/ Bloody Moon, 1981, 85 min.)
Direção: Jess Franco. Elenco Principal: Olivia Pascal, Christoph Moosbrugger, Nadja Gerganoff.
Miguel, um jovem com o rosto desfigurado, ajuda sua irmã a administrar uma escola de línguas para garotas, ali se encanta por uma aluna chamada Angela, ficando obcecado a ponto de segui-la por todos os lados, enquanto isso os amigos da garota passam a ser assassinados um a um.

MAIS DE 1 HORA DE EXTRAS!
Contendo entrevistas com o diretor Jess Franco; Stephen Thrower autor de “Murderous Passions – The Delirious Cinema of Jesús Franco”; depoimentos e muito mais!

Mais informações, confira no site da Obras-Primas do Cinema.

Anúncios

MOMENTO JESS FRANCO: RESIDENCIA PARA ESPÍAS (1966)

kxKNU

Se fosse realizado uma década depois, RESIDENCIA PARA ESPIAS provavelmente teria excelentes motivos para que o mestre espanhol Jess Franco explorasse a sua maior especialidade: putaria. Ele iria às favas com a trama (roteiro acabaria se tornando um objeto quase obsoleto para o diretor) e passaria o filme inteiro dando zoons em prexecas cabeludas de atrizes robustas, certamente Linna Romay, sua musa e esposa, teria um papel de destaque. Mas estamos em 1966 e Franco ainda não havia descambado para essas peculiaridades da forma como vemos em seus filmes a partir dos anos setenta.

RESIDENCIA PARA ESPIAS acaba soando até simpático, adjetivo estranho para elogiar um filme do prolífico diretor, mas é um bom termo para definir esta obra de início de carreira (era o décimo primeiro filme do homem, mas pra quem já fez quase duzentos não é nada). Além de ser uma leve comédia, o filme é um autêntico Eurospy – subgênero criado na esteira dos filmes do agente 007 e que gerou uma infinidade de cópias, paródias, homenagens e picaretagens no velho continente, principalmente na Itália, Espanha e França. Continuar lendo

MOMENTO JESS FRANCO: VIRGIN REPORT (Jungfrauen-Report, 1972)

9e6463406de1

A virgindade sempre foi tema de interesse na obra de Jess Franco. Vez ou outra aparece uma virgem como elemento de reflexões filosóficas e… ok, quem eu tô tentando enganar? O fato é que Franco resolveu realizar VIRGIN REPORT, o pseudo-documentário definitivo sobre o assunto, para dar vazão à uma de suas obsessões, examinar a questão da virgindade em diversas culturas diferenciadas ao logo dos séculos e em vários locais ao redor do planeta. Obviamente, tudo uma mera desculpa para filmar mulheres nuas. Continuar lendo