INVENTÁRIO EUROCULT – O RETORNO

Há alguns anos, aqui mesmo no blog, resolvi convidar leitores e amigos para participarem da elaboração de um inventário de filmes “cult” europeus. Pedi que me enviassem listas pessoais de filmes favoritos e fui compilando essas relações de dez ou quinze filmes cada, repletas de exemplares essenciais e obscuros desse universo tão extenso e fascinante. Um guia perfeito para qualquer iniciante que desejasse enveredar por essas estranhas paragens do cinema. No total foram quinze listas de convidados especiais e, passados, sei lá, uns três anos, me dei conta agora, graças ao Edu Aguilar (também participou do projeto), que até hoje eu nunca havia publicado a MINHA lista! Como acho que nunca é tarde, estamos aí…

O que eu quero dizer com cinema Eurocult? Nem eu sei responder direito… Mas na época queria contemplar mais filme europeus de gêneros populares “de qualquer qualidade. Do horror ao peplum, do giallo ao Spaghetti Western, das tranqueiras do Bruno Mattei e Andrea Bianchi à elegância de um Mario Bava e Dario Argento”, como disse no primeiro post da série.

A relação que fiz contém 25 filmes e está em ordem cronológica. Decidi por colocar apenas um título por diretor, porque só o Fulci, Argento e Bava já formavam a lista inteira. Resolvi não incluir diretores mais famosinhos (como Fellini, Bergman, Buñuel ou Leone, por exemplo, embora tenham feito cinema de gênero e TRÊS HOMENS EM CONFLITO seja o melhor filme da galáxia). Não se trata realmente de uma lista fechada e absoluta, tem prazo de validade, dependendo do meu humor e das novas descobertas que fazemos todos os dias. Mas hoje ela seria assim:

nov_ercole

O grande Hércules encara uma taruíra gigante no filme de Cottafavi

nancy-and-jan

MALPERTUIS, um filme de belas composições

beyond

THE BEYOND e um dos desfechos mais aterradores do cinema

OS OLHOS SEM ROSTO (Les Yeux sans visage, Fra, Ita, 1960), de Georges Franju
ERCOLE ALLA CONQUISTA DI ATLANTIDE (Ita, Fra, 1961), de Vittorio Cottafavi
THE WHIP AND THE BODY (La frusta e il corpo, Fra, Ita, 1963), de Mario Bava
UMA BALA PARA O GENERAL (Quién sabe?, Itália 1966), de Damiano Damiani
UN ANGELO PER SARTANA (Itália, 1966), de Camillo Mastrocinque
O INCRÍVEL EXÉRCITO DE BRANCALEONE (L’armata Brancaleone, França, Espanha, Itália, 1966), de Mario Monicelli
FACCIA A FACCIA (Itália, Espanha, 1967), de Sergio Sollima
IL GRANDE SILENZIO (França, Itália, 1968), de Sergio Corbucci
SUCCUBUS (Alemanha, 1968), de Jess Franco
MALPERTUIS (Bélgica, França, Alemanha, 1971), de Harry Kumel
MILANO CALIBRO 9 (Itália, 1972), de Fernando Di Leo
TUTTI I COLORI DEL BUIO (Itália, Espanha, 1972), de Sergio Martino
EXPRESSO DO HORROR (Horror Express, Espanha/Inglaterra, 1972)
THRILLER – A CRUEL PICTURE (Suécia, 1973), de Bo Arne Vibenius
LES DÉMONIAQUES (Bélgica, França, 1973), de Jean Rollin
LA CASA DALLE FINESTRE CHE RIDONO (Itália, 1976), de Pupi Avati
EMANUELLE IN AMERICA (Itália, 1977), de Joe D’Amato
INFERNO (Itália, 1980), de Dario Argento
CANNIBAL HOLOCAUST (Itália, 1980), de Ruggero Deodato
NIGHTMARE CITY (Incubo sulla città contaminata, Esp, Ita, 1980), de Umberto Lenzi
THE BEYOND (…E tu vivrai nel terrore! L’aldilà, Itália, 1981), de Lucio Fulci
POSSESSION (Alemanha, França, 1981), de Andrzej Zulawski
ESCAPE FROM THE BRONX (Fuga dal Bronx, Itália, 1983), de Enzo G. Castellari
DEMONS (Itália, 1986), de Lamberto bava
DELLAMORTE DELLAMORE (França, Alemanha, Itália, 1994), de Michele Soavi

Queria ter colocado STARCRASH, do Luigi Cozzi, mas tem dinheiro americano envolvido, então decidi não considerá-lo… E também quis dar preferência a produções de países que não falam inglês, por isso a ausência de filmes da Inglaterra. Mas fica a observação.

Se alguém estiver interessado, segue as outras listas:
#1 #2 #3 #4 #5 #6 #7 #8 #9 #10 #11 #12 #13 #14 #15

E se alguém quiser ainda quiser contribuir com o inventário, é só me enviar sua lista de Eurocult favoritos.

Anúncios

INVENTÁRIO EUROCULT #15

Esta semana temos mais uma lista especial de filmes europeus adicionada ao Inventário Eurocult. Quem nos agraciou desta vez foi o grande parceiro Sergio Andrade, editor do Kino Crazy, um dos primeiros blogs que passei a acompanhar na blogosfera, há quase 10 anos. Sergio também foi contribuidor da Revista Zingu! e manteve por muito tempo o Indicações do Biáfora, que republicava as resenhas dos anos 70 e 80 do famoso crítico Rubem Biáfora. O vasto conhecimento cinematográfico, ecletismo e bom gosto deste grande sujeito reflete na relação de filmes que nos enviou. Portanto, vamos a ela:

Love_Letters_of_a_Portuguese_Nun-500622992-large    affiche2

Sinto-me honrado em participar desse inventário criado pelo Ronald Perrone. Tentei o máximo possível selecionar títulos que ainda não foram citados pelos meus antecessores. Quanto mais opções para os leitores, melhor.

O TIGRE DA ÍNDIA/O SEPULCRO INDIANO (Der Tiger Von Eschnapur/Das Indische Grabmal, Alemanha/França/Itália, 1959).
Dir. Fritz Lang, com Debra Paget, Paul Hubschmid, Walter Reyer.

OS FILHOS DO TROVÃO (Arrivano i Titani, França/Itália, 1962).
Dir. Duccio Tessari, com Giuliano Gemma, Pedro Armendáriz, Antonella Lualdi.

O DIABÓLICO DR. HICHCOCK (L’Orrible Segreto del Dr. Hichcock, Itália, 1962);
Dir. Riccardo Freda, com Barbara Steele, Robert Flemyng, Silvano Tranquilli.

LA FRUSTA E IL CORPO (França/Itália, 1963);
Dir. Mario Bava, com Christopher Lee, Daliah Lavi, Tony Kendall.

BLOW-UP: DEPOIS DAQUELE BEIJO (Blow-up, Itália/Reino Unido/EUA*, 1966); Dir. Michelangelo Antonioni, com David Hemmings, Vanessa Redgrave, Sarah Miles.

Observação: a princípio Blow-Up não poderia estar na lista por ter co-produção americana, mas decidi incluir porque é difícil encontrar um filme com espírito mais europeu que esse!

ARMADILHA DO DESTINO (Cul-de-sac, Reino Unido, 1966);
Dir. Roman Polanski, com Donald Pleasence, Françoise Dorléac, Lionel Stander.

O ESTRANHO CAMINHO DE SÃO TIAGO (La Voie Lactée, França/Itália, 1967);
Dir. Luis Buñuel, com Paul Frankeur, Laurent Terzieff, Michel Piccoli.

A HORA DO LOBO (Vargtimmen, Suécia, 1968);
Dir. Ingmar Bergman, com Max Von Sydow e Liv Ullmann

O VINGADOR SILENCIOSO (Il Grande Silenzio, Itália/França, 1968); Dir. Sergio Corbucci, com Jean-Louis Trintignant, Klaus Kinski, Frank Wolff e Vonetta McGee.

O AÇOUGUEIRO (Le Boucher, França/Itália, 1970);
Dir. Claude Chabrol, com Stéphane Audran e Jean Yanne

UMA LAGARTIXA NUM CORPO DE MULHER (Una Lucertola con la Pelle di Donna, Espanha/França/Itália, 1971).
Dir. Lucio Fulci, com Florinda Bolkan, Stanley Baker, Jean Sorel.

O MÉDICO E A IRMÃ MONSTRO (Dr. Jekyll and Sister Hyde, Reino Unido, 1971);
Dir. Roy Ward Baker, com Ralph Bates, Martine Beswick, Gerald Sim.

A CASA DA NOITE ETERNA (The Legend of Hell House, Reino Unido, 1973);
Dir. John Hough, com Pamela Franklin, Roddy McDowall, Gayle Hunnicutt.

LOVE LETTERS OF A PORTUGUESE NUN (Die Liebesbriefe Einer Portugiesischen Nonne, Alemanha/Suiça, 1977);
Dir. Jess Franco, com Susan Hemingway, William Berger, Herbert Fux.

ARREBATO (Espanha, 1980);
Dir. Iván Zulueta, com Eusebio Poncela, Cecilia Roth, Will More.

OS OLHOS DA CIDADE SÃO MEUS (Angustia, Espanha, 1987);
Dir. Bigas Luna, com Zelda Rubinstein, Michael Lerner, Talia Paul.

dr_jekyll_and_sister_hyde_poster_02

INVENTÁRIO EUROCULT #14

O Daniel Vargas edita o blog Top Bad Dates with De Niro, já é um colaborador oficial por aqui (na verdade, só escreveu este texto, mas vem mais por aí) e enviou uma lista com seus filmes europeus favoritos para ser anexada ao Inventário Eurocult:

derletztemannaff1   Tam gdzie rosna poziomki v

A ÚLTIMA GARGALHADA (Der letzte Mann, Alemanha, 1924);
Dir. F. W. Murnau, com Emil Janning, Maly Delschaft e Max Hiller

Poderia muito bem ser chamado também de “O Último Suspiro” ou “A Morte de um Porteiro”.

M – O VAMPIRO DE DÜSSELDORF (M, Alemanha, 1931);
Dir. Fritz Lang, com Peter Lorre

Em tempos de linchamento público, um clássico mais do que atual.

MORANGOS SILVESTRES (Smultronstället, Suécia, 1957);
Dir. Ingmar Bergman, com Victor Sjöström, Bibi Andersson e Ingrid Thulin

Os eternos fantasmas das decisões da vida que tomamos no passado.

OS INCOMPREENDIDOS (Les quatre cents coups, França, 1959);
Dir. François Truffaut, com Jean-Pierre Léaud

A dor da necessidade de ser notado e amado.

LAWRENCE DA ARÁBIA (Lawrence of Arabia, Reino Unido, 1962);
Dir. David Lean, com Peter O’Toole, Omar Sharif, Alec Guinness e Anthony Quinn

O homem que queria ser o rei de outro mundo.

AGUIRRE: A CÓLERA DOS DEUSES (Aguirre, der Zorn Gottes, Alemanha, 1972);
Dir. Werner Herzog, com Klaus Kinski,

O homem que queria ser o rei do seu PRÓPRIO mundo.

MEANTIME (Reino Unido, 1984);
Dir. Mike Leigh, com Tim Roth, Gary Oldman e Alfred Molina

Classe operária britânica não vai ao paraíso.

A FRATERNIDADE É VERMELHA (Trois couleurs: Rouge, França/Suíça/Polônia, 1994); Dir. Krzysztof Kieslowski, com Irène Jacob e Jean-Louis Trintignant

Um coração solitário também.

A AGENDA (L’emploi du temps, França, 2001);
Dir. Laurent Cantet, com Aurélien Recoing e Karin Viard

Neto de “A Última Gargalhada” e o eterno fantasma da incerteza em pleno século 21.

LILYA 4-EVER (Lilja 4-ever, Suécia/Dinamarca, 2002);
Dir. Lukas Moodysson, com Oksana Akinshina e Artyom Bogucharskiy

O começo até o fim da destruição completa de um ser humano perante nossos olhos impotentes.

11192   600full-meantime-poster

INVENTÁRIO EUROCULT #13

Rafael Medeiros é um sujeito gente boa, aficcionado por Tokusatsu e mantém o blog Cine Tosco. É ele quem enviou a lista com os seus filmes europeus de gênero favoritos para o Inventário Eurocult dessa semana. Uma lista bem curiosa, aliás, com um ou outro título habitual, mas recheado de surpresas que nunca imaginei que veria nessas listas. Viva a diversidade:

6ugL0nkAk9AcraN6ZActTfsuq7G taxidermia_xlgO GABINETE DO DR. CALIGARI (Das Cabinet des Dr. Caligari, Alemanha, 1920);
Dir. Robert Wiene, com Werner Krauss e Conrad Veidt

HAMLET (Reino Unido, 1948);
Dir. Laurence Olivier, com Laurence Olivier, John Laurie e Anthony Quayle

O INCRÍVEL EXÉRCITO DE BRANCALEONE (L’Armata Brancaleone, Itália/França/Espanha, 1966); Dir. Mario Monicelli, com Vittorio Gassaman, Gian Maria Volonté e Barbara Steele

A DUPLA EXPLOSIVA (…altrimenti ci arrabbiamo!, Itália/Espanha, 1974);
Dir. Marcello Fondato, com Terecen Hill, Bud Spencer e Donald Pleasence

O ANTICRISTO (L’anticristo, Itália, 1974);
Dir. Alberto De Martino, com Carla Gravina, Mel Ferrer, Arthur Kennedy e Alida Valli

CANIBAL HOLOCAUSTO (Cannibal Holocaust, Itália, 1980);
Dir.: Ruggero Deodato, com Robert Kerman, Francesca Ciardi e Perry Pirkanen

HELLRAISER: RENASCIDO DO INFERNO (Hellraiser, Reino Unido, 1987);
Dir. Clive Barker, com Andrew Robinson, Claire Higgins, Ashley Laurence e Doug Bradley

A VIDA É BELA (La vita è bella, Itália, 1997)
Dir. Roberto Benigni, com Roberto Benigni e Nicoletta Braschi

[Rec] (Espanha, 2007)
Dir. Jaume Balagueró e Paco Plaz, com Manuela Velasco e Ferran Terranza

TAXIDERMIA (Hungria/Áustria/França, 2006);
Dir. György Pálfi, com Csaba Czene, Gergely Trócsányi e Marc Bischoff

Hellraiser-UK-poster

INVENTÁRIO EUROCULT #12

O Inventário Eurocult foi agraciado novamente com uma lista mais que especial, desta vez do ilustre Eduardo Aguilar. Dizer apenas que o sujeito é um grande conhecedor de cinema de gênero europeu é pouco diante de um currículo que inclui ter trabalhado no cinema da Boca do Lixo, nos gloriosos anos 80, e convivido com gente do calibre de Alfredo Sternheim, Ody Fraga, Antônio Meliande, Jean Garret e principalmente o saudoso Carlão Reichenbach, de quem foi assistente de direção. Entre vários trabalhos, um dos mais curiosos foi de continuista no obscuro e desconhecido THE GUEST, uma co-produção ítalo-brasileira com Carlos Pasini Hansen na direção, Antonio Meliande como dir. de fotografia, e no elenco John Phillip Law e Stella Stevens. O filme narra a vinda do diabo em pessoa (John) ao Brasil para encontrar uma espécie de bíblia do Diabo que levaria o mundo ao caos! Uma raridade que pouca gente viu e só sei da existência porque o próprio Edu me contou. Nem no imdb está listado… Aos caçadores de filmes raros, taí uma missão. Atualmente, Edu é professor de cinema e diretor de curtas metragens, alguns deles inspirados em obras do universo Eurocult:

RABID_DOGS_2D_BD    que-la-bete-meure-affiche_365623_44700

Fiquei muito feliz ao ser convidado pelo Ronald Perrone para participar dessa proposta, sinto muita falta dos tempos em que descobri a saudosa lista de discussão “Canibal Holocausto” que debatia esse tipo de filme, reconheço que apesar de adorar o gênero horror tinha muito preconceito contra os filmes de horror e também os policiais feitos por europeus, a exceção ficava por conta dos faroestes spaghettis, e felizmente acabei me libertando disso! Essa lista é uma mescla dessa libertação que me permitiu admirar nomes como Lucio Fulci e Amando do Ossório e ao mesmo tempo “descobrir” que diretores que sempre admirei como Buñuel e Chabrol flertaram com o cinema de gênero e fizeram filmes incríveis!

O SILÊNCIO (Tystnaden, Suécia, 1963);
Dir. Ingmar Bergman, com Ingrid Thulin, Gunnel Lindblom e Birger Malmsten

UMA BALA PARA O GENERAL (Quién Sabe?, Itália, 1966);
Dir. Damiano Damiani, com Gian Maria Volonté, Klaus Kinski e Lou Castel

OS VIOLENTOS VÃO PARA O INFERNO (Il Mercenario, Itália/Espanha, 1968);
Dir. Sergio Corbucci, com Franco Nero, Jack Palance e Tony Musante

A BESTA DEVE MORRER (Que la bête meure, França/Itália, 1969);
Dir. Claude Chabrol, com Michel Duchaussoy, Caroline Cellier e Jean Yanne

KES (Reino Unido, 1969);
Dir. Ken Loach, com David Bradley e Freddie Fletcher

AND SOON THE DARKNESS (Reino Unido, 1970);
Dir. Robert Fuest, com Pamela Franklin, Michele Dotrice e Sandor Elès

PS: Inicialmente, a escolha do Edu foi O ABOMINÁVEL DR. PHIBES (The Abominable Dr. Phibes, 1971), também do Fuest, mas para nossa surpresa, é uma co-produção americana. Como o filme possui todo o clima do horror britânico, deixo aqui esta observação. É um filme que merece ser visto.

A NOITE DO TERROR CEGO (La noche del terror ciego, Espanha/Portugal, 1972);
Dir. Amando De Ossorio, com Lone Flaming, César Burner e Helen Harp

O HOMEM DE PALHA (The Wicker Man, Reino Unido, 1973)
Dir. Robin Hardy, com Edward Woodward, Christopher Lee, Ingrid Pitt e Britt Ekland

CÃES RAIVOSOS, aka RABID DOGS (Cani Arrabbiati, Itália, 1974);
Dir. Mario Bava, com Riccardo Cucciolla, Don Backy, George Eastman e Lea Lander

O INQUILINO (Le Locataire, França, 1976);
Dir. Roman Polanski, com Roman Polanski, Isabelle Adjani, Melvyn Douglas e Jo Van Fleet

CADÁVERES ILUSTRES (Cadaveri Eccelenti, Itália/França, 1976);
Dir. Francesco Rosi, com Lino Ventura, Fernando Rey e Max Von Sydow

POSSESSÃO (Possession, França/Alemanha, 1981);
Dir. Andrzej Zulawski, com Isabelle Adjani e Sam Neill

O ESTRIPADOR DE NOVA YORK (Lo squartatore di New York, Itália, 1982);
Dir. Lucio Fulci, com Jack Hedley e Almanta Suska

O ELEMENTO DO CRIME (Forbrydelsens Element, Dinamarca, 1984);
Dir. Lars Von Trier, com Michael Elphick, Esmond Knight e Me Me Lai

DELLAMORTE DELLAMORE (Cemetery Man, Itália/França/Alemanha, 1994);
Dir. Michele Soavi, com Huppert Everett e Anna Falchi

Anexo:
A MORTE NESTE JARDIM
(La mort en ce jardin, França/México*, 1956);
Dir. Luis Buñuel, com Simone Signoret e Michel Piccoli

PS: O Edu colocou este na lista por prevalecer o olhar europeu do mestre Luis Buñuel, dos atores principais, por ser falado em francês… Mas por ser uma co-produção mexicana, não poderia entrar no inventário. Vamos manter como um anexo, pois como o projeto serve como uma lista de compras, tenho certeza que se o Eduardo indicou este filme é porque deve ser um ingrediente que não pode faltar.

268750-westerns-the-mercenary-poster