INVENTÁRIO EUROCULT – O RETORNO

Há alguns anos, aqui mesmo no blog, resolvi convidar leitores e amigos para participarem da elaboração de um inventário de filmes “cult” europeus. Pedi que me enviassem listas pessoais de filmes favoritos e fui compilando essas relações de dez ou quinze filmes cada, repletas de exemplares essenciais e obscuros desse universo tão extenso e fascinante. Um guia perfeito para qualquer iniciante que desejasse enveredar por essas estranhas paragens do cinema. No total foram quinze listas de convidados especiais e, passados, sei lá, uns três anos, me dei conta agora, graças ao Edu Aguilar (também participou do projeto), que até hoje eu nunca havia publicado a MINHA lista! Como acho que nunca é tarde, estamos aí…

O que eu quero dizer com cinema Eurocult? Nem eu sei responder direito… Mas na época queria contemplar mais filme europeus de gêneros populares “de qualquer qualidade. Do horror ao peplum, do giallo ao Spaghetti Western, das tranqueiras do Bruno Mattei e Andrea Bianchi à elegância de um Mario Bava e Dario Argento”, como disse no primeiro post da série.

A relação que fiz contém 25 filmes e está em ordem cronológica. Decidi por colocar apenas um título por diretor, porque só o Fulci, Argento e Bava já formavam a lista inteira. Resolvi não incluir diretores mais famosinhos (como Fellini, Bergman, Buñuel ou Leone, por exemplo, embora tenham feito cinema de gênero e TRÊS HOMENS EM CONFLITO seja o melhor filme da galáxia). Não se trata realmente de uma lista fechada e absoluta, tem prazo de validade, dependendo do meu humor e das novas descobertas que fazemos todos os dias. Mas hoje ela seria assim:

nov_ercole

O grande Hércules encara uma taruíra gigante no filme de Cottafavi

nancy-and-jan

MALPERTUIS, um filme de belas composições

beyond

THE BEYOND e um dos desfechos mais aterradores do cinema

OS OLHOS SEM ROSTO (Les Yeux sans visage, Fra, Ita, 1960), de Georges Franju
ERCOLE ALLA CONQUISTA DI ATLANTIDE (Ita, Fra, 1961), de Vittorio Cottafavi
THE WHIP AND THE BODY (La frusta e il corpo, Fra, Ita, 1963), de Mario Bava
UMA BALA PARA O GENERAL (Quién sabe?, Itália 1966), de Damiano Damiani
UN ANGELO PER SARTANA (Itália, 1966), de Camillo Mastrocinque
O INCRÍVEL EXÉRCITO DE BRANCALEONE (L’armata Brancaleone, França, Espanha, Itália, 1966), de Mario Monicelli
FACCIA A FACCIA (Itália, Espanha, 1967), de Sergio Sollima
IL GRANDE SILENZIO (França, Itália, 1968), de Sergio Corbucci
SUCCUBUS (Alemanha, 1968), de Jess Franco
MALPERTUIS (Bélgica, França, Alemanha, 1971), de Harry Kumel
MILANO CALIBRO 9 (Itália, 1972), de Fernando Di Leo
TUTTI I COLORI DEL BUIO (Itália, Espanha, 1972), de Sergio Martino
EXPRESSO DO HORROR (Horror Express, Espanha/Inglaterra, 1972)
THRILLER – A CRUEL PICTURE (Suécia, 1973), de Bo Arne Vibenius
LES DÉMONIAQUES (Bélgica, França, 1973), de Jean Rollin
LA CASA DALLE FINESTRE CHE RIDONO (Itália, 1976), de Pupi Avati
EMANUELLE IN AMERICA (Itália, 1977), de Joe D’Amato
INFERNO (Itália, 1980), de Dario Argento
CANNIBAL HOLOCAUST (Itália, 1980), de Ruggero Deodato
NIGHTMARE CITY (Incubo sulla città contaminata, Esp, Ita, 1980), de Umberto Lenzi
THE BEYOND (…E tu vivrai nel terrore! L’aldilà, Itália, 1981), de Lucio Fulci
POSSESSION (Alemanha, França, 1981), de Andrzej Zulawski
ESCAPE FROM THE BRONX (Fuga dal Bronx, Itália, 1983), de Enzo G. Castellari
DEMONS (Itália, 1986), de Lamberto bava
DELLAMORTE DELLAMORE (França, Alemanha, Itália, 1994), de Michele Soavi

Queria ter colocado STARCRASH, do Luigi Cozzi, mas tem dinheiro americano envolvido, então decidi não considerá-lo… E também quis dar preferência a produções de países que não falam inglês, por isso a ausência de filmes da Inglaterra. Mas fica a observação.

Se alguém estiver interessado, segue as outras listas:
#1 #2 #3 #4 #5 #6 #7 #8 #9 #10 #11 #12 #13 #14 #15

E se alguém quiser ainda quiser contribuir com o inventário, é só me enviar sua lista de Eurocult favoritos.

Anúncios
Esse post foi publicado em Eurocult, Rankings e Listas, Sem categoria e marcado . Guardar link permanente.

2 respostas para INVENTÁRIO EUROCULT – O RETORNO

  1. Alexandre disse:

    Para fugir um pouco dos já citados e dos muito manjados, até para poder contribuir, acrescentando alguns títulos ausentes, cito dez longas europeus de que gosto muito:

    DARK WATERS (1993), de Mariano Baino
    UNA RAGIONE PER VIVERE E UNA PER MORIRE (1972), de Tonino Valerii
    CRY OF A PROSTITUTE (1974), de Andrea Bianchi
    O CANGACEIRO (1970), de Giovanni Fago
    CORTO MALTESE: LA COUR SECRÈTE DES ARCANES (2002), de Pascal Morelli
    SETTE BASCHI ROSSI (1969), de Mario Siciliano
    ATTENTATO AI TRE GRANDI (1967), de Umberto Lenzi
    KILLER CONTRO KILLERS (1985), de Fernando Di Leo
    A SEITA/LOS SIN NOMBRE (1999), de Jaume Balagueró
    TENDERNESS OF THE WOLVES (1973), de Ulli Lommel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s