TEASER DE BLADE RUNNER 2049 + TRAILER DE ALIEN COVENANT + ALIEN – O OITAVO PASSAGEIRO (1979)

Primeiro, vamos ao teaser de BLADE RUNNER 2049:

Sou grande admirador de BLADE RUNNER – um dos trabalhos visuais mais colossais e deslumbrantes da ficção científica – e todo o universo que o rodeia, curto até a bagunça das variadas versões que o filme possui… Não sei bem o que pensar, entretanto, dessa continuação. Me parece boa, respeitosa, com o Ridley Scott comandando o barco na produção. E o Dennis Villeneuve é uma escolha interessante. Não sou grande fã de alguns de seus trabalhos, como OS SUSPEITOS, mas acho SICARIO muito bom. Não vi ainda ARRIVAL, uma incursão do diretor no sci-fi, mas pelas imagens do teaser dá pra criar boa expectativa, especialmente pela presença de Deckard (Ford) em cena. Na torcida por algo legal…

Agora, o trailer de ALIEN: COVENANT:

Ok, ainda é uma incógnita pra mim. Acho o retorno do Scott ao universo ALIEN, com PROMETHEUS, uma coisa linda. Portanto, meio que confio que COVENANT esteja em boas mãos e deva sair algo instigante, claustrofóbico e tenso pra caralho, espero… Claro que não deve chegar nos pés deste aqui:

12161635347043

O que esse trailer, na verdade, me causou foi vontade de rever ALIEN – O 8° PASSAGEIRO pela milésima vez. Foi o que eu fiz e resolvi republicar esse textinho que escrevi no blog antigo.

É sempre bom relembrar o surgimento dessa belezinha. Em 1974, o jovem Dan O’Bannon escrevia um roteiro de ficção científica que acabou sendo DARK STAR, dirigido pelo então marinheiro de primeira viagem, John Carpenter. Eu adoro o filme, mas O’Bannon parece não ter ficado muito satisfeito com o resultado. A trama, entre outras coisas, é sobre a tripulação de uma pequena nave atormentada por um alien feito de bola de praia… sim, é tão genial e ridículo ao mesmo tempo.

Então o sujeito resolveu pegar alguns elementos de DARK STAR, buscou inspiração de alguns outros clássicos da ficção científica, como O PLANETA DOS VAMPIROS, para escrever um novo roteiro. Além disso, O’Bannon aproveitou sua aproximação com o artista H.R. Giger, da época em que estavam preparando a adaptação de DUNA, que teria a direção de Alejandro Jodorowski, para trabalhar na concepção visual desse novo projeto. Ainda teve o dedo de Walter Hill na produção e a direção de Ridley Scott… Então qualquer coisa que saísse dessa combinação de talentos seria, no mínimo, interessante. Calhou de sair ALIEN – O 8° PASSAGEIRO, ou seja, um dos maiores clássicos do horror espacial.

alien-1979-por-tras-das-cenas

Ao contrário de vários cinéfilos que conheço, não compartilho do mesmo desprezo pelo Ridley Scott. Não é um mestre, mas quando acerta demonstra que realmente sabe o que faz. Especialmente no início de carreira o sujeito estava em estado de graça! OS DUELISTAS, BLADE RUNNER e este aqui são obras de grande vigor cinematográfico… o problema é que quando erra, demonstra uma incompetência absurda. Basta lembrar de coisas como ATÉ O LIMITE DA HONRA ou sua versão de ROBIN HOOD.

mv5bmjy1nzq3mzk3n15bml5banbnxkftztcwmjm2ntuymw-_v1_sy500_cr00747500_al_

Em ALIEN a coisa é diferente. Scott aproveita da melhor maneira possível da força visual, do primor estético concebido por Giger, dos efeitos especiais, trilha sonora, para trabalhar o tenso climão claustrofóbico dos corredores escuros e cenários fechados da nave Nostromo em um crescente suspense. Sei que todo mundo está careca de saber sobre tudo isso, mas até hoje me encanta os detalhes e escolhas que Scott faz para a construção do horror. Todas as cenas dos ataques do alien, por exemplo, se baseiam muito mais na atmosfera do que a brutalidade. Se existe um filme que transcende o sentido de horror atmosférico é este aqui.

Dessa forma temos várias cenas brilhantes, como a que o personagem de Tom Skerritt, Dallas, adentra os apertados dutos de ventilação em busca do invasor indesejado. É tudo questão de manutenção de luz, sombras e noção de como utilizar os cenários… A criatura mesmo mal aparece durante todo o filme e mesmo assim, Scott tem nas mãos o suficiente para fazer a platéia gelar a espinha. Até hoje, já perdi as contas de quantas vezes já assisti ao filme, sei cada cena de cor e ainda assim me mantém vidrado. De fazer inveja a muito filmezinho de terror da atualidade.

alien-1979-movie-still-1-660x330

Algumas sequências são célebres. A visita de parte da tripulação à nave alienígena abandonada cheio dos famigerados ovos estranhos e o pobre John Hurt curioso botando a cara a “ver melhor”; Ian Holm se revelando após a violenta pancada na cabeça desferida por Yaphet Kotto; Sigourney Weaver de calcinha se preparando para a peleja final; e claro, o sensacional parto de John Hurt, dando à luz a uma lombriga de dentes afiados. Sem contar o aspecto incrível do monstro espacial, que me deixava arrepiado quando era criança e até hoje impressiona.

Anúncios

4 pensamentos sobre “TEASER DE BLADE RUNNER 2049 + TRAILER DE ALIEN COVENANT + ALIEN – O OITAVO PASSAGEIRO (1979)

  1. Pingback: ALIEN³ (1992) | DEMENTIA¹³

  2. Para mim “Alien – O Oitavo Passageiro ” é o melhor filme de terror & ficção de todos os tempos,eu tambem assisti varias vezes esse filme mais na TV Aberta eu comprei o DVD dele e nunca abri para assisti-lo e comprei o Blu -ray dele recentemente e tambem esta lacrado .. mais um dia assistirei á ambos o filmes,Ridley Scott é um diretor de alto e baixo mesmo como varios diretores por aí afinal! ele é humano e errar as vezes é humano,Feliz 2017 para voce ,Perrone,um abraço de Anselmo Luiz.

  3. É…, Ridley Scott normalmente acerta a mão, mas quando erra, fede tanto que tem de abrir todas as janelas da casa e jogar Bom-Ar. Além de Alien (que, errando a digitação, acabei de descobrir que, se trocar o e pelo n, vira Aline), do Blade Runner e num sentido menor, Telma e Louise, tem os filmes ame ou odeie, como Gladiador, que apesar dos furos, é um filme feito com a paixão que falta aos épicos atuais, Falcão Negro em Perigo, que é um filme da Cannon com mais dinheiro e mais bem feito – e o que há de errado com isso? – e, especialmente, Cruzada, cuja versão do diretor tem uns 50 minutos a mais e é maravilhosa, ficando pau a pau com os grandes épicos do passado e até redimindo o Orlando Bloonda – recomendo de com força! E o mesmo vale para o irmão, o saudoso Tony Scott, quase tão talentoso quanto e que estava na sua melhor fase com o Incontrolável, que é pom pa cacete, até resolver fazer bungee jump sem corda. Tomara que ele consiga herdar o melhor do irmão e, junto com o melhor de si próprio, passe a produzir coisa boa em sequencia, para que possamos continuar com as janelas da casa fechadas e não entre mosquito.

    P.S. Feliz 2017, Ronald, vida longa e próspera ao seu blog. Que o ano que vem escolha direito aqueles que irá levar, ao contrário desse que passou, que só levou gente que não devia.

    • Precisava fazer uma revisão de GLADIADOR pra saber como seria, mas até segunda ordem acho bem fraco. Gosto bastante de FALCÃO NEGRO e a versão do diretor de CRUZADA é mesmo uma lindeza. Não sei se já assistiu, mas vale a pena ver OS DUELISTAS, talvez a obra-prima do Scott. Já o Toninho eu tenho grande apego, gosto de muita coisa dele e estava numa fase incrível mesmo quando decidiu pular da ponte…

      E feliz 2017 pra ti também! 😀

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s