FILMES DE HORROR FAVORITOS DA DÉCADA… ATÉ AGORA

Com o  texto de A BRUXA (2015), no último post, comecei a me perguntar então quais seriam os melhores filmes de horror dos últimos anos. Como não resisto a uma lista, resolvi arriscar a relacionar os filmes do gênero que mais me impressionaram, mas limitando apenas as produções desta década, ou seja, de 2010 até hoje; e apenas dez exemplares, listados em ordem alfabética (mas se tivesse que escolher o melhor, com certeza seria A BRUXA)… É óbvio que sintam falta de alguns filmes, eu realmente não dou tanta atenção assim à safra mais recente do gênero, mas vamos lá.

10594_15_large

O barbudão Jeremy Garner em THE BATTERY

BATTERY, THE (2012), de Jeremy Garner
BONE TOMAHAWK (2015), de S. Craig Zahler
CABIN IN THE WOODS, THE (2012), de Drew Goddard
I SAW THE DEVIL (2011), de Jee-Woon Kim
IT FOLLOWS (2014), de David Robert Mitchell
KILL LIST (2011), de Ben Wheatley
SERBIAN FILM, A (2010), de Srdjan Spasojevic
STAKE LAND (2010), de Jim Mickle
WITCH, THE (2015), de Robert Eggers
YOU’RE NEXT (2011), Adam Wingard

+

SAFE HEAVEN (episódio do longa V/H/S 2, 2013), de Gareth Evans e Timo Tjahjanto

Menções honrosas: BAY, THE (2012), de Barry Levinson; BURYING THE EX (2014), de Joe Dante; CONJURING, THE (2013), de James Wan; EVIL DEAD (2013), de Fede Alvarez; INNKEEPERS, THE (2012), de Ti West; INSIDIOUS (2011), de James Wan; MAR NEGRO (2013), de Rodrigo Aragão; SCREAM 4 (2011), de Wes Craven; SINISTER (2012), de Scott Derrickson e WE ARE STILL HERE (2015), de Ted Geoghegan.

kill-list-poster01

E pra vocês? Quais são os seus filmes de horror favoritos desta década até agora?

PS: Se BLACK SWAN (Cisne Negro, 2010), de Darren Aronofsky, for considerado horror, tem lugar fácil na lista dos dez melhores…

Anúncios
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

9 respostas para FILMES DE HORROR FAVORITOS DA DÉCADA… ATÉ AGORA

  1. Muito bom Perrone! Dos que eu vi, assino embaixo, o restante vou correr para assistí-los.
    A Bruxa não passa dessa semana. Valeu!

  2. Anônimo disse:

    Ótima lista, mas senti falta do australiano Babadook, que por sinal está entre os filmes de terror que me mais me surpreenderam entre 2010 até hoje.

    • Julio Abreu Chiarini disse:

      Esqueci d colocar meu nome ehhee

    • ronaldperrone disse:

      Pois é, estava discutindo hoje isso no facebook com alguém os motivos por ter deixado de fora…Não sou muito fã do filme, acho uma falta grave não terem explorado melhor o visual da criatura lá… Sei que a ideia é deixar a coisa meio sugestivo e na imaginação do espectador, algo que eu até aprecio, mas em Babadook acho que não funcionou tão bem e perdeu força… Pedia pra ser um pouco mais explícito, na minha opinião.

  3. alucardcorner disse:

    O Blue Ruin é um excelente filme, mas não é terror na minha opinião. Todos os que mencionou são bons, alguns não considero nada de especial mas.. são opiniões 🙂 Como foi sugerido o Excision também esta razoavelmente bom. O que tem faltado nesta nova década é um bom slasher. É difícil fazer um sem recorrer a velha temática/cliché, mas valia a pena tentar.

  4. Steampunk Vagaroso disse:

    Excelente lista, Perrone!

    Adicionaria o Blue Ruin do Jeremy Saulnier. Um filme muito bacana de 2013.

    • ronaldperrone disse:

      Rapaz, eu vi esse BLUE RUIN, até entrou em uma lista de melhores do ano há algum tempo… Mas não sei se consigo encaixá-lo como horror…Mas é um filmaço mesmo.

  5. Tungstênio disse:

    Grande Ronald, ótima lista. Novamente, o saúdo pela efervescência desse 2016.
    Fiquei especialmente feliz com a presença de Burying the ex e the innkeepers, pois são raramente lembrados. De mesmo modo, gostei demais da inclusão de The Cabin in the Woods e A serbian film, que são dois filmaços.

    Quanto a sua pergunta, eu confesso que, em toda lista que vejo, sempre sinto falta da trinca: Excision (2012), de Richard Bates Jr., The Loved Ones (que, em que pese constar ser de 2009, teve seu lançamento lás pros fins de 2010, mas chegando a mim mais pra frente até), de Sean Byrne, e Proxy (2013), de Zack Parker (que faz aqui um dos melhores usos de câmera lenta que vi no cinema moderno).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s