INVENTÁRIO EUROCULT #5

Historiador, pesquisador de cinema de gênero, e o maior fã de Charles Bronson que se tem notícia, Leandro Caraça é um velho conhecido daqueles que já vêm, há tempos, frequentando o universo dos blogs de cinema. Quem não se lembra do saudoso Viver e Morrer no Cinema, o blog onde compartilhava diariamente sua paixão pela sétima arte? Atualmente, é possível encontrar alguns de seus escritos na Revista Interlúdio. Mas é muito pouco. E esta lista especialíssima que ele nos enviou com os seus vinte Eurocults favoritos serve não apenas para abrilhantar o inventário, mas também reforça o clamor de todos para um retorno ao mundo dos blogues!

141091  blue-movie

E DEUS CRIOU A MULHER (Et Dieu… créa la femme, França/Itália, 1956);
Dir. Roger Vadim, com Brigitte Bardot, Curd Jürgens e Jean-Louis Trintignant

Enquanto os jovens turcos preparavam a revolução, Roger Vadim saiu na frente oferecendo Brigitte Bardot ao mundo.

OS OLHOS SEM ROSTO (Les Yeux Sans Visage, França/Itália, 1960);
Dir. Georges Franju, com Alida Valli, Pierre Brasseur e Edith Scob

A França adere ao cinema de horror moderno, com o exemplar mais lírico do gênero.

O ANO PASSADO EM MARIEMBAD (L’année dernière à Marienbad, França/Itália, 1961); Dir. Alain Resnais, com Delphine Seyrig, Giorgio Albertazzi e Sacha Pitoeff

O delirante labirinto de Resnais e Grillet. Simétrico e perfeito.

MACISTE CONTRO IL VAMPIRO (Itália, 1961);
Dir. Sergio Corbucci e Giacomo Gentilomo, com Gordon Scott e Leonora Ruffo

Um dos melhores exemplares de peplum, muito mais do que apenas um cara marombado passeando de tanga na tela.

MONDO CANE (Itália, 1962);
Dir. Paolo Cavara, Gualtiero Jacopetti e Franco Prosperi

O mundo como ele é, aqui e agora. Porca miséria!!!

ALPHAVILLE (Alphaville, une étrange aventure de Lemmy Caution, França/Itália, 1965); Dir. Jean-Luc Godard, com Eddie Constantine, Anna Karina, Akim Tamirof e Howard Vernon

Lemmy Caution perdido no mundo tecnológico e sem paixão de Godard.

LA NUIT LA PLUS LONGUE (aka L’enfer dans la peau, França, 1965);
Dir. José Bénazéraf, com Willy Braque, Yves Duffaut e Annie Josse

Um sequestro, uma antológica dança lésbica, Chet Baker, rebeldia. Isso é Bénazéraf.

A HORA DO LOBO (Vargtimmen, Suécia, 1968);
Dir. Ingmar Bergman, com Max Von Sydow e Liv Ullmann

A hora em que os lobos preferem uivar, as crianças preferem nascer e os insanos acordam e não conseguem mais dormir.

SUCCUBUS (Necronomicon – Geträumte Sünden, Alemanha, 1968);
Dir. Jess Franco, com Janine Reynaud, Jack Taylor e Howard Vernon

Os fetiches e obsessões de Franco agora estão livres de amarras. A partir desse ponto, é free jazz total.

OS DEMÔNIOS (The Devils, Inglaterra, 1971);
Dir. Ken Russel, com Vanessa Redgrave e Oliver Reed

Amai-vos uns sobre os outros como eu vos amei.

LE FRISSON DES VAMPIRES (França, 1971);
Dir. Jean Rollin, com Sandra Julien eJuan-Marie Durand

Vampiras frenéticas dentro de um castelo, dentro de um sonho de Jean Rollin.

CONTOS IMORAIS (Contes Immoraux, França, 1974);
Dir. Walerian Borowczyk, com Fabrice Luchini, Lise Danvers e Charlotte Alexandra

Erotismo ou pornografia ? Arte ou putaria. A dica de Borowczyk é relaxar e gozar.

O FANTASMA DA LIBERDADE (Le fantôme de la liberté, Itália/França, 1974);
Dir. Luis Buñuel, com Jean-Claude Brialy, Michel Piccoli, Adolfo Celi e Monica Vitti

A liberdade, a subversão, a arbitrariedade. Molecagens de um velho surrealista.

AS FILHAS DE DRÁCULA (Vampyres, Inglaterra, 1974);
Dir. José Ramón Larraz, com Marianne Morris e Anulka Dziubinska

Venha passar uma noite ao lado de Anulka e Marianne Morris.

GLISSEMENTS PROGRESSIFS DU PLAISIR (França, 1974);
Dir. Alain Robbe-Grillet, com Anicée Alvina, Olga Georges-Picot e Michael Lonsdale

Sucessivas demonstrações de dor e prazer.

LISA E O DIABO (Lisa e il diavolo, Itália/Alemanha/Espanha, 1973);
Dir. Mario Bava, com Telly Savalas, Elke Sommers, Sylvia Koscina e Alida Valli

Mario Bava é o demiurgo. E o pirulito é do Telly Savallas.

LE SEXE QUI PARLE (Pussy Talk, França, 1975);
Dir. Claude Mulot, com Penélope Lamour, Béatrice Harnois e Sylvia Bourdon

A buceta que fala. Cinema XXX francês no seu ápice.

BLUE MOVIE (Itália, 1978); Dir. Alberto Cavallone, com Danielle Dugas e Claude Maran

Cavallone jogando tudo para o alto e mandando público e crítica se foderem.

POSSESSÃO (Possession, França/Alemanha, 1981);
Dir. Andrzej Zulawski, com Isabelle Adjani e Sam Neill

Isabelle Adjani. Duplos. Aberrações gosmentas. Zulawski no divã, falando sobre o seu divórcio.

TERROR NAS TREVAS (…E tu vivrai nel terrore! L’aldilà, aka The Beyond, Itália, 1981); Dir. Lucio Fulci, com Katherine MacColl, David Warback, Antoine Saint-John, Veronica Lazar e Al Cliver

O fim do mundo de acordo com Fulci. E além…

possession   vampyres_1974_poster_01.preview

Anúncios
Esse post foi publicado em Eurocult, Rankings e Listas e marcado . Guardar link permanente.

4 respostas para INVENTÁRIO EUROCULT #5

  1. Pingback: INVENTÁRIO EUROCULT | DEMENTIA¹³

  2. Foi uma boa ideia essas listas.

  3. jorge lima disse:

    Resnais na lista!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s