INFERNO VERMELHO (Red Heat, 1988), de Walter Hill

Passou outro dia no TCM. É um dos meus filmes preferidos sobre o tema dos choques culturais entre países. Em plena Guerra Fria, um policial russo, vivendo sob o regime comunista obviamente, vai aos Estados Unidos, faz uma involuntária parceira com um policial americano pragmático e cheio dos costumes ocidentais, para tentar capturar um traficante russo. E quem interpreta estas duas figuras são Arnold Schwarzenegger e James Belushi, que estão perfeitos cada um nos seus extremos do estereótipo, bem exagerados, para que o choque cultural salte aos olhos do público de maneira forçada, sem frescuras, fazendo com que o diretor Walter Hill se preocupe com outros detalhes, como criar um filme ação policial ao melhor estilo dos anos 80. No elenco ainda temos Peter Boyle, Lawrence Fishburne e Ed O’Ross. Filmaço!
Anúncios
Esse post foi publicado em Ação, Policial e marcado , , . Guardar link permanente.

19 respostas para INFERNO VERMELHO (Red Heat, 1988), de Walter Hill

  1. daniel neves disse:

    Assista ao fim dos créditos. Lá aparecerá uma relação das canções tocadas durante o filme.

  2. daniel neves disse:

    Cara, assista ao fim dos créditos desse filme. Lá aparece uma relação das canções utilizadas no longa.

  3. Anônimo disse:

    Oi alguem pode me dizer o nome dakela musica ke um cara cantava no piano ainda no começo do filme. Eu preciso dela para um trabalho

  4. Takeshi disse:

    Lembro de uma única cena em que Schwarzenegger dispara uma tonelada de tiros em um cara até ele se espatifar numa porta de vidro, bem no estilo de John Woo, não sei se ele é o dono do estilo.

  5. Pedro Pereira disse:

    Bem bom para a época.

  6. Just Daniel disse:

    Não foi minha intenção parecer que eu não tinha visto o filme, foi apenas uma divagação para tentar decidir em grupo se o filme se trata muito mais do que um grande filme de ação dos anos 80 ou não. hehe.

  7. Não… apenas um ótimo filme de ação policial dos anos 80. Dos bons meeeesmo!!!

  8. Gosto do final:

    “Somos policiais. Não somos políticos, podemos ser amigos”

    😀

  9. Demofilo disse:

    Enquanto aguardo a 'homenagem', estou tratando de providenciar a minha cópia, claro, hehe. Valeu!

  10. osvaldo neto disse:

    Revi O ULTIMO GRANDE HERÓI faz poucos dias. Santa coincidência, Batman!

    É mesmo muito subestimado, me diverti horrores com as atuações e referências. Uma de minhas favoritas é sobre um dos personagens do filme dentro do filme, interpretado por F. Murray Abraham.

    “Não confie nele, Jack.”

    “Por quê?”

    “Porque foi ele quem matou Mozart!”

  11. Puxa vida, obrigado pelas palavras. Em sua homenagem, vou fazer uma revisão deste grande filme, e subestimado, do Arnoldão e que eu também adoro, e escrevo algumas palavras. Abraço!

  12. Hola, compañero! Falando no Arnoldão, lembrei-me ontem de um filme que não sei como estava apagado da minha memória há anos, talvez o mais extraordinário e polêmico (polêmico para os fãs e a crítica norte-americana) estrelado por ele, que é o sensacional O ULTIMO GRANDE HERÓI, conhece? É uma sátira genial aos proprios filmes de ação norte-americanos, com uma pálida pitada de A rosa púrpura do Cairo. Gostaria que voce 'desencavasse' esse filme e comentasse aqui… Sou seu fã! Um abraço.

  13. Nothingman disse:

    Um filme que revi muitas vezes na minha adolescência.

  14. herax disse:

    O Schwarzenegger nasceu para fazer papeis como o desse filme.

  15. Só impressão mesmo… não tenho visto quase nada. Esta semana, por exemplo, só assisti a um filme! Estes ultimos que postei já faz um tempinho que vi.

  16. artur disse:

    nossa Ronald você está a mil postando um filme atras do outro, deve ter assistido muitos ultimamente

  17. Kurt Breichen disse:

    Esse filme realmente é massa. Walter Hill… outro diretor badass que o mundo parece ter esquecido. Não sei se estou ficando velho, mas aquela frase de Sally Jupiter em “Watchmen” sobre o futuro parecer ficar cada vez mais sombrio e o passado, até as piores partes, parecer ficar cada vez mais brilhante, começa a fazer sentido. Se bem que “St. Vincent” promete.

  18. BLOB disse:

    Vi esse filme num cineminha “grindhouse” que tinha na minha cidade natal, que era apelidado pela população como pulguinha… Este e outras obras me fazem recordar das ótimas matinés de Domingo… Realmente um bom trabalho do grande Hill!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s