SPETTERS (1980), de Paul Verhoeven

vlcsnap2011062021h07m17Não faz nem uma semana, o Leandro Caraça postou em seu blog uma curiosidade a respeito de uma possível contratação do Verhoeven para dirigir um dos episódios de STAR WARS no início dos anos 80. Ideia que não foi pra frente… Muito provável porque George Lucas deve ter assistido a SPETTERS, este ótimo filme do holandês maluco que eu também vi por esses dias.

O que Verhoeven faz em SPETTERS é uma grande sacada óbvia, algo que se ele não fizesse, outros fariam (e devem ter feito, eu que não estou me lembrando de ninguém agora), que é pegar um tema americano tão batido, como a juventude e suas possibilidades, e transformá-lo num filme provocativo, sob um prisma europeu, um autêntico soco no estômago muito bem dado. Imaginem aqueles filmes adolescentes do rapaz tentando perder a virgindade, mas com um pessimismo desenfreado, cenas de estupro homossexual e sexo explícito. É algo nesse nível. Por isso não vamos culpar o pobre George Lucas por ter descartado o sujeito. Ele deve ter sentido de verdade o murro e não queria algo assim na sua preciosa série de ficção científica. Mas nós, fãs do holandês, sabemos como esta história terminou. Verhoeven atravessou o Atlântico e realizou ROBOCOP, que é muito melhor que todos os STAR WARS juntos. Que me perdoem os nerds de plantão, que se fantasiaram de Yoda para conferir no cinema os últimos filmes da saga, mas essa é a verdade.

Voltando ao SPETTERS, o filme trata de um grupo de três mancebos holandeses tipicamente guiados, ainda, pelos desejos imaturos de uma juventude estúpida (como todos nós em alguma fase das nossas vidas… se bem que alguns continuaram), só pensam em suas motocicletas e em faturar mulheres. A trama transcorre numa pequena cidade holandesa e até lembra um filme do já citado George Lucas, AMERICAN GRAFFITTI, só que com aqueles elementos “barra pesada” que eu disse ali em cima, e um tratamento muito mais realista que o “Jorginho”, sequer, sabe como fazer. Este realismo confere ao filme uma autenticidade tremenda da visão de seu diretor, que tenta sempre imprimir um tom amargo e brutal, fruto, talvez, de sua própria visão pessimista pela vida. Ainda não conheço a fundo a fase holandesa do Verhoeven, mas recomendo SPETTERS para sentir o baque que este individuo parece ter o prazer de provocar.

Anúncios

25 pensamentos sobre “SPETTERS (1980), de Paul Verhoeven

  1. Assino embaixo, que a única coisa que o louco holandês fez de ruim foram os 15 minutos finais de “O Homem sem Sombra”. O resto da filmografia dele é de dar inveja.

  2. O holandês maluco é um dos que junto com outros que admiro considero que nunca fez um filme ruim. Ah, eu gosto do filme do Homem Sem Sombra tb! O ruim é o final em que ele vira Jason…

  3. A única coisa ruim que o Verhoeven filmou foram os 15 minutos finais de O Homem sem Sombra, porque o restante até que é legalzinho. Mas também nada de mais…

    Se o Holandês tiver a mesma liberdade que sempre teve nos EUA, também não vejo problema algum ele voltar a arrepiar pro lado de lá. Mas se ele continuasse na Europa seria bem melhor.

  4. Naqueles links que eu coloquei num comentário logo acima, você consegue baixar o filme.

    E agradeço a sua dica, mas Stalker eu já vi. É realmente excelente e tenho em DVD. Retribuindo, recomendo outra ficção do Tarkovski: Solaris. Procure! É a fina nata da sétima arte. =)

  5. Algo do Verhoeven que eu ainda não conhecia? Putz! E agora? Como faço para encontrar esse Spetters? Achei a trama muito foda. Preciso ver esse filme. E, já que me recomendaste algo tão bom, recomendo de volta (uma questão de gentileza) uma ficção-científica que vi recentemente numa mostra chamada A História da Filosofia em 40 Filmes chamdada Stalker, de Andrei Tarkovsky. Procure! É a fina nata da sétima arte.

  6. Valeu!

    E Showgirls é bem menosprezado, mas gosto bastante. Cheio de glitter, haha.
    Não foi por esse filme que ele recebeu o framboesa e foi lá buscar?

  7. porra, fiquei com uma puta vontade de ver esse filme.

    Pegar lá no surreal.
    Valeu ae pela dica, Ronald McDonald Big Mac.

  8. Cara esse ai eu não vi, mas Conquista Sangrenta é do caralho! Semana passada assisti A Espiã e o velho Paul mandou muito bem também. Ei por que vc não faz um top 10 do Verhoeven? Ia ser interessante.

  9. Da fase holandesa, pra mim O 4o. HOMEM segue imbatível. Foda!! Ainda bem que ele não topou fazer a continuação de THOMAS CROWN. CONQUISTA SANGRENTA é foda! Não sei como pode esse filme ter sido bancado por um estúdio de Hollywood.

  10. E se eu te disser que a fase holandesa é tão foda quanto pérolas como Tropas Estelares, O Vingador do Futuro, Robocop e Instinto Selvagem?

    Não vi esse Spetters, mas sou doido para assistir. Porém, já vi Soldado de Laranja, O Quarto Homem e A Espiã e são filmaços obrigatórios. Inclusive O Quarto Homem é um passo inicial do que seria Instinto Selvagem anos depois e Soldado de Laranja é um A Espiã trinta anos antes. Sou fã do holandês maluco e aguardo seu novo filme para 2010. Aliás, você sabe porque ele não topou fazer a continuação do Thomas Crown mais? Gostaria de saber. Dizem que Turks Fruit também é ótimo, assim como Conquista Sangrenta, que não vi.

  11. porra, fiquei com uma puta vontade de ver esse filme. verhoeven é mto foda.

    ae ronald, tem como dizer aonde baixou e se tinha legenda prestando pro release?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s